Simetria em desordem

Da natureza à matematica, a simetria aparece como ferramenta que traduz ordem, equilíbrio, harmonia. Esta é a impressão imediatamente captada (e por vezes desejada) pelo olhar humano. Nestes trabalhos, a artista se inspirou nos elementos visuais que experienciou nos rituais originados de práticas dos povos indígenas amazônicos com a ayahuasca e busca seduzir nossos olhares retrabalhando seus trabalhos. Ela organiza, desorganiza, reorganiza imagens, numa perspectiva puramente estética, fazendo-nos mergulhar em pura harmonia estética, onde só restam olhares inebriados, hipnotizados. Assim a artista nos provoca à profundidade em si mesmo, como o objeto simétrico, que só existe quando há um eixo norteador em que se duplica em reflexão.